quarta-feira, 4 de fevereiro de 2009

De longe

Estou tentando resolver tudo sozinha, sabe?
Em parte para não dar trabalho, pra não desviar a atenção que cada nanômetro do universo necessita para ser mantido em órbita apenas com meus anseios e aspirações para o futuro.
Em parte pq gostaria que se orgulhasse de mim, q visse q sou capaz, q sou forte, inteligente e todo aquilo q quero ser e q sei q deseja de mim.
Queria poder ajeitar as coisas sem recorrer ajuda a todo momento.
Não fraquejar, não temer, não falhar
Queria de verdade me sentir feliz e satisfeita, recear o novo, claro até mesmo como uma atitude de prudência, mas enfrenta-lo, 5 minutos depois do espanto já ter compreendido. 10 depois já ter encaminhado a novidade.
Talvez eu seja capaz de fazer isso em razoáveis momentos.
Talvez até, me atrevo a pensar, muito mais vezes do que o normal, ou muito mais rápido. Afinal, um punhadinho de ego por poder fazer bem uma tarefa não chega a ser uma falha.
Mas não pude, ou não posso.
Sei que ninguém o pôde, mas às vezes eu gostaria que me aprovassem, ser bem quista pelas pessoas ou que pelo menos reconhecessem minha habilidade e esforço, especialmente o segundo.
Não agrado nem a maioria pelo visto. Já que a maioria aparentemente não se importa, não vê ou realmente não se interessa.
E então, de novo me sinto um fracasso.
De novo re-lembro a fatídica segunda-feira que não fiz. Que interessante...até mesmo os analgésicos para não chegar ao desespero no caso de a queda não ser fatal, e levar alguns instantes até que algum órgão toráxico vital enfim sucumbisse. Estava bem planejado, mas não. Pouco antes desisti.
Ainda me arrependo de ter resolvido fazer, me arrependo de ainda considerar a idéia, e as vezes, confesso, me arrependo da desistência.
Então temo, ou melhor, me aterrorizo de novo. Não quero voltar.
Não quero voltar pra casa, nem pros amigos, nem pras atividades. Lá tenho os conhecidos de novo, lá terei que ser analisada e julgada, mesmo que imperceptivelmente.
Às vezes queria ser condenada completamente logo de uma vez, a tortura do talvez e do quase é deveras, como posso descrever em palavras, humilhante, torturante. Chega a causar náuseas.
Durmo tarde, aliás, o sono foge de mim como o Diabo do divino poder. Não quero que o dia acabe pq estará mais perto de ir embora, de volta pra casa.
Acordo mais tarde ainda para não ter que encarar o novo dia q começou, pq o sono, qndo finalmente chega é o calmante, ou melhor dizendo, o torpor necessário para passar os dias apenas sorrindo e acenando indiferente.
Mas não posso.
Tenho uma graduação a terminar, um idioma para me aprofundar, um relacionamento para granjear, artigos para pesquisar, talvez até mesmo projetos a desenvolver.Tenho amigos para saudar, colegas para tentar tornar amigos. Uma classe para me colocar à berlinda para que decidam se vão me deixar tomando conta de tudo ou vão querer simplesmente tomar meu lugar sem sequer um “Ei, pode me mostrar o que já foi feito e o que esta em ndamento?” Tenho que enfrentar a completa indiferença ainda. Tenho que conseguir alguma indicação, infelizmente à custa de alguns sorrisos e esforço para que outros usufruam. Isso todo pq tenho que aprender a profissão à qual estou estudando em algum lugar, já que infelizmente percebi que a luta de anos não superou a gana capitalista irracional de minha instituição. Investir em algo para que possa obter prestígio e rendimento futuro deve ser mesmo para os fracos. Se for em educação então, acho que nem os fracos.
Tenho que voltar, para enfrentar todas essas constatações, para voltar a ser minha analista, já que nenhum dos anteriores conseguir superar a fase em que eu os analisava.
Acho que de certa forma todos somos um pouco carente de atenções, e encontrar um paciente disposto a se interessar por seus problemas o bastante para te analisar seja mais tentador que tentar encontrar a fundo a raiz do problema de mais um nebuloso paciente. Ou, pior ainda seja tentar que o nebuloso paciente supere essa raiz, esse sim creio ser meu problema.
Meu problema é que me exigem demais. Cada uma de minhas facetas me exigem demais.
E cada uma das pessoas que se acostumou a receber meu máximo se acostumomu a querer sempre mais, perpetuando o círculo vicioso.
Gostaria de permanecer aqui, escondida, inerte, incógnita a mim mesma. Dormente. Talvez para isso até mesmo abriria mão do que mais me faz bem, do carinho e do amor do meu amado. (Perdão amor, vc é minha vida) Engraçado citar, agora esclarescendo a mim mesma estaria disposta a abrr mão de minha vida. Fazendo uma retrospectiva a esse texto, citei a exaustão tal fato, tratando à vida real e a figurada
Vou me inspirar à Cássia Eller, mudaram minhas estações, meus locais, até minha aparência mudou um pouco, mas nada mudou. Sei que alguma coisa aconteceu, até já disse o que: o medo de não ser capaz de concretizar minhas próprias aspirações de ter um certo conforto e sucesso.Está todo tão diferente de quando eu saí. Mas agora, estou indo de volta pra casa.
E preciso de Ti de novo, com as minhas queixas egoístas e receios (provavelmente) infundados. E algumas de minhas metas inatingíveis.
Fique comigo, me ajude a ser sábia nas escolhas e na absorção de conhecimento. Me ajude a me encaminhar para que possa obter uma dose desses planos em tempo cronológico o bastante rápido que acompanhe o meu tempo psicológico.
Quero fazer, quero me esforçar, não quero obter de graça. Só Tu sabes o quanto isso é verdade, não seria bom o bastante obter sem esforço, me sentiria mais miserável que sinto agora, pelo menos agora tenho ao que aspirar, além de ar.
Quero oportunidade, sabedoria e serenidade, apenas isso tudo.
O mesmo de sempre.

2 comentários:

Renato Snowareski disse...

Tão delicado para ser exposto tão sinceramente...

"me prosto diante de ti, para te dizer, que, na hora mais escura, surge sempre a melhor idéia, mas ela é fraca, quase inerte.
Se ela se atrever a querer crescer, e se tornar o objetivo de uma vida, e começar a brilhar... tudo aquilo que habita a escuridão sairá e porá barreiras intimidadoras e às vezes, disfarçadas de amizade.
Se a idéia tem coragem, e não sucumbe a escuridão, ela se torna seu sucesso, e seus sorrisos.
Tudo aquilo que habita à escuridão, vive em sua mente, logo, é vc... Assim como o seu brilho. Cabe a você decidir quem sobrepõe-se a quem..."

You know I will always be at your side, even when everything that I love just disapear, i will be there for you. Your tears flow down through my eyes. So... Smile...

Eduardo Bmd ;S disse...

Por mais obscuro que pareça, o mundo sempre conspirará em favor daquilo em que se luta para conseguir! Se houver Prosperidade, Paciência e Humildade, tudo se torna mais facil. Melhor ainda é poder olhar para alguém e saber que com esta pessoa pode contar, por isso preserve sempre estas junto a ti, porque nem sempre se deve "jogar" as veses é necessario que deixem jogar contigo.
Td d bom pra ti ! continue escrevendo ! Abraços ;D